Afinal, como funciona o curso de Medicina nos Estados Unidos? - Daquiprafora | Faculdade nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido

Afinal, como funciona o curso de Medicina nos Estados Unidos?

Assim como no Brasil, o curso de Medicina em uma universidade dos Estados Unidos é bastante almejado, tornando-o muito concorrido e exigindo dos candidatos vários anos de dedicação e estudo.

Entretanto, ao contrário do Brasil, o curso de Medicina é considerado um curso de pós-graduação nos Estados Unido, e existem diversas particularidades que dificultam bastante o ingresso de estudantes internacionais.

Pensando nisso, preparamos essa matéria com o objetivo de esclarecer o porquê do curso de Medicina nos Estados Unidos não ser recomendável para estudantes brasileiros. Acompanhe!

 

Como funciona o processo de admissão e a duração do curso

Como mencionamos, Medicina é um curso de pós-graduação nos Estados Unido. Isso significa que, para poder se candidatar, o estudante deverá ter uma graduação. Não existe propriamente um curso específico que o candidato precisa ser graduado para poder iniciar o processo seletivo para Medicina, mas ele deverá cumprir as disciplinas obrigatórias exigidas para esse processo, chamadas de Pre-Med. Geralmente, os candidatos que pretendem cursar medicina fazem sua graduação em cursos de biológicas, como biologia ou química.

Após concluir a graduação, o estudante iniciará um processo seletivo bem semelhante ao o que fez para a graduação, sendo necessário enviar o GPA da universidade; cartas de recomendação; TOEFL (geralmente acima de 100 em 120); as redações, que mostram quem o candidato é como pessoa e suas experiências acadêmicas e profissionais; e, principalmente, suas notas no MCAT (Medical College Admission Test, ou Teste de Admissão em Faculdades de Medicina).

Após concluir os quatro anos da graduação e ser aceito em uma Med School, o curso de medicina dura 4 anos e então o aluno pode iniciar a residência, que nos EUA dura de 3 a 7 anos.

 

Mesmo cumprindo os requisitos, há pouquíssimas vagas

A concorrência do curso é muito grande, já que o número de candidatos é muito superior ao número de vagas. Para ser ter uma ideia, os estudantes que pretendem fazer Medicina estão sempre entre os melhores alunos da universidade durante a graduação, porque o processo seletivo para Medicina geralmente exige que os candidatos tenham um GPA acima de 3.8 em 4.0

Para os estudantes internacionais, a situação é ainda mais complicada: apenas uma parcela das universidades que possuem o curso de Medicina disponibiliza vagas para estudantes estrangeiros, e, quando disponibilizam, são poucas, ou até mesmo apenas uma vaga. Ou seja, estudantes do mundo inteiro concorrem por um número mínimo de vagas!

 

As possibilidades de bolsas de estudo são ínfimas

Além do processo seletivo ser altamente competitivo, as chances de o estudante internacional conseguir algum tipo de bolsa de estudo são praticamente zero. Praticamente todas as oportunidades de bolsa de estudos são restritas apenas a estudantes nativos. Até mesmo os empréstimos cedidos pelo governo são permitidos apenas para americanos ou canadenses.

Sem bolsa, o custo para cursar medicina nos Estados Unidos pode chegar até 80 mil dólares por ano, e muitas universidades ainda exigem que o estudante pague o valor à vista, antes do início do curso!

 

Após a formatura, não há garantias de visto permanente

Quem pensa que fazer medicina nos Estados Unidos terá um visto de residência garantido se engana. Assim como qualquer outro curso de graduação, o país dará ao profissional o direito de permanecer no país por até um ano após a formatura. Após esse período, será necessário que que esse profissional se inscreva para um visto de trabalho vinculado a uma empresa/instituição. Apesar de ser formado em medicina ser um diferencial na hora de conseguir um visto de moradia, não é algo 100% garantido.

Além disso, se porventura um médico brasileiro formado nos Estados Unidos decidir voltar a morar no Brasil, não poderá exercer sua profissão de imediato e terá de revalidar o seu diploma, o que pode ser extremamente difícil por se tratar um curso da área da saúde, cujas diretrizes de ensino entre os países são bem diferentes.

 

Viu só? Estudar Medicina nos Estados Unidos é bem diferente de seguir essa carreira no Brasil e, enquanto estudante estrangeiro, conseguir uma vaga e finalizar o curso é bastante complicado.

Contudo, os Estados Unidos possuem uma infinidade de outros cursos que estudantes que sonham em fazer faculdade no exterior podem escolher. Entre em contato conosco e conheça quais são as melhores opções que o país poderá oferecer para você!



Comentários