Pedro Dumont: A história de um vencedor na vida e nas quadras

Os estudantes atletas que atuam competitivamente em universidades dos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que têm a chance de estudar e obter um diploma, acumulam quatro anos de histórias de superação. Afinal, como é comum para todo atleta, competir em alto nível exige um alto grau de dedicação, força de vontade e principalmente resiliência.

A história que trazemos hoje com certeza é um exemplo perfeito de como a força de vontade faz um campeão. Nosso aluno Pedro Dumont, da University of West Florida, superou adversidades que a maioria dos atletas nunca enfrentará. Pedro manteve-se firme na decisão de manter sua bolsa de estudos e encarou de frente os desafios que a vida lhe colocou no caminho. Leia abaixo o relato de Pedro:


Pedro Dumont: A história de um vencedor na vida e nas quadras

Ser campeão é sempre uma sensação incrível em praticamente qualquer circunstância, mas ser campeão enfrentando o que o tenista de Brasília Pedro Dumont precisou enfrentar é algo que merece ainda mais celebração.

Pedro, de 23 anos, é estudante no último ano da University of West Florida, que recém conquistou seu quarto título nacional por equipes da divisão 2 da NCAA, liga universitária americana. Com 17 vitórias e apenas 2 derrotas em seus confrontos de simples na temporada 2017, Pedro foi peça importante para o sucesso da equipe.

 

 

A questão a ser destacada, contudo, é que há menos de um ano e meio, Pedro sequer sabia se hoje estaria saudável para competir. Na época, Pedro estava competindo, batalhando pela própria vida.

Em 2014, durante seu primeiro ano em Pensacola (cidade sede da West Florida), Pedro sentiu um caroço estranho embaixo da costela. Com a preocupação instantânea, Pedro voltou para Brasília e foi constatado que era um tumor benigno. Feita a cirurgia para a retirada do tumor, Pedro retornou aos EUA para viver como um estudante-atleta normal. Era esse o plano.

Quase um ano depois, em 2015, Pedro identificou novamente o caroço no mesmo local. Depois de mais uma bateria de exames, constatou-se que dessa vez o problema era mais sério. Pedro tinha sarcoma sinovial, um tumor maligno com estreita relação com tendões e ligamentos.

 

A batalha por pontos dentro da quadra de tênis, ganhar ou perder, treinar mal ou treinar bem, tudo isso agora não significava nada para Pedro. A única preocupação era iniciar o longo e sofrido tratamento de rádio e quimioterapia. Durante os três meses de sessões, além dos insuportáveis enjoos e indisposições, Pedro perdeu seu cabelo e ganhou muito peso. Ele mal tinha completado 22 anos de vida.

Depois do tratamento, agora começava a longa batalha para retornar à vida de atleta de alto rendimento. Com a ajuda de seu pai, o treinador Santos Dumont Guimarães, Pedro treinou em Brasília até retornar para a West Florida em agosto de 2016. Com muita dedicação, Pedro voltou à velha forma (ele inclusive chegou à final de um future de duplas em Pensacola em novembro de 2016, além de ter ganho os regionais e nacionais de duplas pouco tempo depois de regressar à UWF) e o resultado veio com o título nacional da UWF.

 

 

Pedro passou muitos e muitos anos viajando, treinando, abdicando de várias coisas importantes para uma criança/adolescente por causa do tênis. Soma-se a isso uma vitória contra um câncer enquanto se esforçava para manter uma bolsa de estudos em uma universidade em outro país. A maturidade adquirida por esse guerreiro certamente fará com que ele seja um profissional de sucesso na vida adulta, independente do caminho que seguir.



Comentários