Roommate – por que ter um colega de quarto é muito importante no primeiro ano?

Para muitos brasileiros, a ideia de dividir um quarto da faculdade com um desconhecido pode soar um pouco estranha. Nos Estados Unidos, porém, a cultura do roommate é muito forte e são raros os alunos que escolhem ou tem a oportunidade de dormir em um quarto individual. Em algumas universidades, por exemplo, os quartos individuais são exclusivos para pessoas no segundo, terceiro ou quarto ano de faculdade e /ou que cumpram certos requisitos – como um GPA acima de 3.5, praticar um determinado esporte ou fazer parte de determinada fraternidade/irmandade –  de forma que todos os calouros tenham que passar pela experiência de ter um roommate. Mas, afinal, por que quartos compartilhados são tão valorizados e incentivados?

Facilita a transição

Ter um roommate logo no primeiro ano ajuda a integrar o aluno na comunidade da universidade. Os colegas de quarto são indivíduos que estão passando pela mesma situação e compreendem a dificuldade de se adequar a uma nova rotina, viver longe dos pais ou até se adaptar à cultura e sociedade de um país novo. Assim, roommates podem ser grandes aliados nesse processo de transição, podendo dar apoio ao compreender verdadeiramente as angústias comuns aos calouros nessa fase.

Te conecta com uma pessoa com costumes parecidos com o seu

As universidades fazem o possível para que os colegas de quarto tenham um “match” perfeito. Universidades como a British Columbia fazem com que calouros preencham formulários sobre seus hábitos diários – como horários de acordar/dormir, hábitos de limpeza, costume de ingerir álcool, entre outros – de forma que possam conectar pessoas com hábitos parecidos. Dessa forma, o risco de conflitos sobre atividades do dia-a-dia entre colegas de quarto diminui substancialmente e, ademais, os alunos podem viver com indivíduos que compartilham certos gostos e aspectos de personalidade.

 

Ajuda na sociabilização

Ter um roommate pode dar um boost no ciclo social dos estudantes, principalmente no caso de pessoas mais tímidas. Ter um colega de quarto pode te incentivar a participar de eventos sociais e atividades extracurriculares diferentes e te ajudar a conhecer pessoas novas, além de garantir que você sempre terá alguém para ir a eventos, shows e festas junto.

 

Promove o intercâmbio cultural

Ter um roommate é uma ótima oportunidade para conhecer melhor uma pessoa com uma história de vida diferente. O contato com indivíduos de culturas diferentes é crucial para o crescimento pessoal de um aluno, contribuindo para o desenvolvimento de uma maior empatia, curiosidade perante o novo, conhecimento de mundo e de habilidades novas no decorrer do dia-a-dia, como aprendizagem de uma nova língua com um falante nativo. Essa experiência de intercâmbio cultural é tão valorizada pelas universidades que algumas até evitam deixar dois estudantes do mesmo país juntos.

 

Te integra na comunidade da universidade

Em muitas universidades americanas, os dormitórios são os centros da vida social. A Universidade de Chicago, por exemplo, os estudantes são divididos em “casas” nos seus dormitórios, as quais fornecem suporte acadêmico e social aos membros. Dessa forma, viver junto aos membros de uma comunidade torna-se um aspecto de extrema importância para a experiência universitária dos alunos, permitindo que os jovens criem um senso de comunidade e pertencimento desde o primeiro ano.

 

Fornece ajuda em situações de necessidade

Um roommate terá mais facilidade em notar quando o estudante está precisando de ajuda emocional, pois perceberá facilmente uma mudança de hábitos ou atitude. Dessa forma, viver com alguém garante que a comunidade da universidade – ou, no mínimo, uma pessoa – fique ciente que um aluno esta passando por dificuldades, possibilitando que o jovem em necessidade receba apoio emocional de outros estudantes mais rapidamente.

Ademais, roommates podem ajudar uns aos outros em caso de algum deles ficar doente, como, por exemplo, comunicando um staff rapidamente caso necessário, notando possíveis pioras durante a noite ou até fazendo pequenos “mimos”, como levar comida ao estudante de cama.

 

Se não der certo, é possível mudar

Há vários meios de facilitar a convivência com roommates (para algumas dicas, clique aqui), mas, caso realmente não dê certo, os estudantes sempre podem trocar de colega de quarto depois de um tempo. Assim, a cultura americana de roommate pode permitir que os estudantes escolham viver com seus melhores amigos durante a faculdade.

De qualquer forma, sendo um futuro melhor amigo ou apenas um colega, ter um roommate é uma experiência fundamental a vida de um universitário nos Estados Unidos, podendo facilitar a vida dos estudantes e promover experiências inesquecíveis e o desenvolvimento de habilidades valiosas.



Comentários