Veja como estudar nos Estados Unidos e Canadá te deixa melhor preparado(a) para o mercado de trabalho!

Um aluno escolhe uma universidade para, principalmente, aprender técnicas e teorias da sua área e se tornar um profissional competente e preparado para exercer sua profissão. Porém, mais do que habilidades técnicas, a vivência na universidade ensina habilidades interpessoais muito importantes para a carreira de um jovem – as famosas soft skills, que já escrevemos sobre. Você pode ler aqui.

O sistema de ensino brasileiro perde para os sistemas americanos e canadenses quando falamos em desenvolvimento fora da sala de aula. As universidades nos Estados Unidos e Canadá possuem melhores estruturas, melhores profissionais e modelos de ensino mais adequados para preparar um jovem para os desafios de um mercado cada vez mais competitivo e abrangente.

Para ser um profissional completo, já não basta mais ter domínio técnico impecável. As habilidades que vamos mencionar a seguir já são muitas vezes mais consideradas pelos recrutadores do que a técnica. E com toda a segurança, podemos afirmar que as universidades americanas e canadenses dão a oportunidade de desenvolver cada uma dessas habilidades!

 

Adaptabilidade

Novas profissões surgem a todo momento, e novas necessidades dentro de empresas surgem quase que diariamente. Um bom profissional precisa ser capaz de se adaptar rápido a mudanças e a novas demandas que podem surgir.

Um jovem que escolhe estudar fora de seu país vive se adaptando desde o dia que tomou essa decisão. Se adapta ao processo de aplicação – muito diferente do brasileiro – se adapta ao novo país, ao novo estilo de ensino, a nova língua e aos costumes e tradições locais. Se adaptar bem a mudanças é uma das chaves do sucesso de um aluno(a) internacional, portanto, ao chegar ao mercado de trabalho, esse aluno(a) não terá dificuldade a se adaptar a qualquer situação.

Abrangência de conhecimento

Jovens que estudam em universidades brasileiras, em sua maioria, recebem um currículo de aula pronto e estático desde que inicia o curso. As aulas são sempre relacionadas ao curso e sofrem pouca variação de áreas de conhecimento. Nos Estados Unidos e Canadá isso é completamente diferente. É necessário que o aluno pegue aulas nas mais diversas áreas do conhecimento, e é amplamente encorajado a ter aulas fora de seu curso.

As empresas hoje procuram profissionais que possam aplicar conhecimentos mesclados em prol de resoluções de problemas mais criativas. Ter um conhecimento abrangente de áreas não relacionadas a profissão faz com que o profissional possa pensar fora da caixa e olhar uma situação sob perspectivas bem diferentes.

Networking e trabalho em equipe

O coletivo é extremamente valorizado no mercado de trabalho atual, que traz empresas cada vez mais plurais e diversas. Ter bom relacionamento com colegas e construir uma rede de contatos sólida e interessante é muito bem visto por recrutadores.

Estudar nos estados unidos e Canadá é uma forma muito efetiva de construir uma rede de relacionamentos global. As universidades possuem uma diversidade de nacionalidades imensa, e é possível estudar com pessoas de todos os cantos do mundo. Além disso, o trabalho em equipe é muito fomentado no modelo de ensino americano e canadense, seja nos trabalhos em sala ou no grande incentivo para participar de clubes e grupos externos as aulas.

Organização e Independência

As empresas procuram jovens que possam cuidar de si mesmos, serem independentes e que também sejam organizados e responsáveis. Tudo isso se torna necessidade para sobrevivência quando se escolhe estudar no exterior.

O estudante precisa se organizar com relação as aulas, a alimentação, a horas de sono, a seus pertences, a suas tarefas e compromissos, tudo isso sozinho e em um país que não é seu. Organização é aprendida todos os dias da vida de um estudante internacional, e ser independente é uma consequência dessa escolha. Nada melhor para preparar para os desafios profissionais do que vivê-los diariamente por alguns anos.

Liderança

Faz parte da experiência na universidade se envolver em clubs e associações, e, muitas vezes criar ou gerir algumas delas. os clubs e associações são locais que funcionam como miniempresas, e o aluno (a) pode se envolver bastante na gestão deles.

É sabido que ser líder não tem nada a ver com mandar em pessoas. Ser líder é inspirar, é trocar ideias, é saber ouvir a todos e tomar frente de situações quando necessário. Ter experiências como essa em clubs e associações estudantis com certeza preparam o estudante para situações onde a liderança será necessária.

 

Saiba mais sobre como estudar nos Estados Unidos em Canadá! Clique aqui e entre em contato com a Daquiprafora!



Comentários