Como revalidar seu diploma do exterior no Brasil - Daqui pra Fora | Faculdade nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido

Como revalidar seu diploma do exterior no Brasil

Fazer faculdade fora, voltar e exercer a profissão no Brasil é o plano de muitos estudantes quando pensam no futuro. Mas dúvidas sobre a revalidação do diploma são comuns e podem fazer muita gente desistir do plano sem necessidade. Hoje este é um processo comum, feito por milhares de pessoas anualmente no Brasil. 

Se você também tem dúvidas sobre este processo, entenda a seguir como funciona a validação do diploma e veja que é bem mais simples do que você imaginava.

Por que é preciso revalidar seu diploma da faculdade no exterior?

A revalidação de diploma é um processo criado em 1996 pelo governo brasileiro que autentica diplomas adquiridos em universidades no exterior. Em 2016, este processo se tornou mais ágil com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Atualmente, em até seis meses o diploma é revalidado.

Para que o diploma seja validado, o curso feito no exterior precisa ser do mesmo nível ou área equivalente ao disponibilizado pela instituição brasileira, respeitando os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparação.

A partir da revalidação, o diploma pode ser declarado equivalente aos concedidos no Brasil e passa a ter validade nacional, possibilitando a entrada no mercado de trabalho de forma legal e regularizada.

O Brasil não tem nenhum acordo de validação ou reconhecimento automático de diplomas de nível superior com nenhum país. Portanto, as regras são as mesmas para todos os países do mundo.

Como revalidar seu diploma no Brasil

A validação de diploma de graduação precisa ser feita por uma universidade pública brasileira (federal ou estadual). Para dar início ao processo, o recém-formado precisa selecionar a instituição e buscar informação sobre toda a documentação necessária. Em seguida, reúne essa documentação e envia para análise.

A instituição tem 30 dias para analisar se a documentação está adequada. Em caso positivo, dá origem a um protocolo e segue o processo. O trâmite normal deve ser cumprido em 180 dias.

Na universidade pública que o aluno escolheu, o currículo será avaliado para que se verifique a compatibilidade com a grade brasileira. Com 70% de compatibilidade, o diploma é validado. Essa compatibilidade não está relacionada ao número de horas ou créditos das disciplinas. É fundamental que o histórico informe se foram abordados pelo menos 70% do conteúdo exigido pela universidade brasileira.

É possível que a instituição solicite o cumprimento de algumas matérias adicionais para finalizar o processo. Por isso, uma dica importante para quem vai adquirir um diploma no exterior e pensa em trabalhar no Brasil é cursar mais matérias que estejam diretamente relacionadas à carreira escolhida.

Para o julgamento da equivalência, é constituída uma Comissão Especial, composta por professores que tenham qualificação compatível com a área do conhecimento a ser analisada. Se houver dúvida em relação à similaridade do curso, essa Comissão pode determinar a realização de exames e provas complementares.

Lembre-se de que nem todos as áreas exigem revalidação de diploma. As empresas não exigem revalidação para quem pretende trabalhar em áreas de negócios, como Administração, Economia, Marketing, RH, etc.  

Onde revalidar meu diploma do exterior?

Quando agilizou o processo de validação de diploma, o governo criou o Portal Carolina Bori, uma plataforma que reúne todas as informações sobre o processo, incluindo a lista de universidades disponíveis para revalidação de cada carreira.

O recém-formado entra com seus dados e vê quais universidades estão com vagas e processos abertos para a revalidação de diploma na sua área. Antes da criação desse portal, era preciso pesquisar de universidade em universidade qual tinha disponibilidade.

O portal unifica todos os pedidos de revalidação de diploma no Brasil. Toda a comunicação entre o requerente (o diplomado) e a universidade é feita via plataforma Carolina Bori, desde a documentação necessária até a divulgação do resultado final.

Agora que você já sabe que existe a possibilidade de revalidar o diploma e que o processo não é um bicho de 7 cabeças (ao contrário), pode ir sossegado fazer sua faculdade no exterior.

Saiba mais como se preparar para as provas do processo seletivo em nosso artigo específico sobre cada teste exigido pelas instituições no exterior.



Comentários