Estudante montando seu portfólio para uma faculdade no exterior.

Portfólio na candidatura no exterior. Como montar e enviar?

No processo seletivo para as universidades no exterior, o candidato cumpre várias etapas, que buscam mostrar às universidades quem ele é além das notas da escola e das provas padronizadas. As instituições querem conhecer o aluno como um todo, incluindo suas características pessoais e suas habilidades.

Por isso, especialmente para quem pretende estudar áreas ligadas às artes, como cinema, música, arquitetura, teatro, dança e artes plásticas, existe uma etapa suplementar no processo, que é o envio do portfólio. 

O portfólio faz parte dos “materiais complementares” da application, mas nem por isso é menos importante. A ideia é que ele contenha uma espécie de seleção das melhores produções artísticas que você já fez e é fundamental no processo porque é um documento visual que  a universidade vai utilizar para identificar suas preferências, suas habilidades e, principalmente, seu potencial artístico. 

Como montar o portfólio

Por ser uma coletânea de materiais, o portfólio traz uma forte carga pessoal e é esta mesmo a intenção, para que os avaliadores possam conhecer mais a fundo o candidato. Ele é, portanto, a principal oportunidade de você mostrar para a universidade o que você já fez e o que pretende fazer como aluno daquela instituição

Escolher o que incluir no portfólio é, portanto, um processo de extrema importância. Selecionar suas peças favoritas pode ser um bom caminho, porque estas certamente estão muito ligadas à sua essência, à sua história.

Se entre elas, houver alguma que você não ache boa tecnicamente o suficiente, não se preocupe. As universidades não procuram por artistas prontos.

Elas sabem identificar o potencial de cada um e querem justamente trabalhar em cima disso, desenvolvendo este potencial.

O importante é que as peças sejam autênticas, tenham significado, se possível uma boa história e que, claro, estejam alinhadas com a sua trajetória, com quem você é. 

O portfólio não é um documento padronizado, como outros itens da application. As exigências variam de acordo com a instituição. Por isso, pesquise e preste atenção no que é solicitado e siga à risca e, claro, ao prazo de envio. 

Dependendo da universidade, podem ser solicitados de 8 a 24 trabalhos. Demonstrar criatividade e flexibilidade no uso de materiais e mídias pode ser um diferencial positivo.

Ou seja, é importante explorar várias técnicas. Em geral, também é solicitada uma redação (o artistic statement), um texto onde você vai falar sobre a sua relação com a arte, sobre seus trabalhos e por que escolheu aquela universidade.

Este texto, claro, precisa estar em sintonia com o material que você vai apresentar e com o restante dos itens da sua application.

Afinal, em outras etapas do processo, como na redação e nas atividades extracurriculares, você também vai falar de você, das suas ideias, preferências, da sua trajetória e características pessoais.  

Neste vídeo, você encontra informações importantes sobre a criação do portfólio:

Em geral, as escolas pedem que sua arte reflita sua imaginação, seu estilo, mostre vontade de experimentar, revele o processo, além de demonstrar algumas habilidades.

Dê preferência para trabalhos desenvolvidos nos últimos dois anos. Algumas escolas podem pedir um trabalho novo específico, então, leve em conta também um tempo extra para desenvolver possíveis novos trabalhos. 

Por tudo isso, é importante que você comece a pensar no portfólio com bastante antecedência. O tempo é um aliado fundamental que vai permitir boas escolhas desde a elaboração até a seleção dos trabalhos, bem como na reflexão sobre o material.

O ideal é que o portfólio seja iniciado antes do segundo semestre do ano da candidatura. O processo requer planejamento, prática, muita pesquisa, preparação e, por fim, as escolhas e a reflexão.

Vale lembrar que você vai precisar praticar e, no final, sempre vai produzir bem mais trabalhos do que vai apresentar.  

Levando tudo isso em conta, um bom caminho para a elaboração do melhor portfólio pode seguir esta rota: 

  • Documente suas ideias: mantenha ativo, desde pelo menos um ano e meio antes da candidatura, um art journal que reúna todas as suas inspirações, ideias, esboços, viagens, visitas a exposições ou peças, críticas etc. Anote cursos, projetos, trabalhos voluntários, programas de verão, mentorias e tudo mais que tenha ajudado no seu desenvolvimento artístico. Estes registros vão ser fundamentais para desenvolver a criatividade e para a reflexão sobre a sua trajetória artística.
  • Pratique se possível diariamente: comprometa-se com a prática artística diária ou com a maior frequência possível. Quanto mais a arte fizer parte da sua vida, mais naturais e melhores serão as suas criações. É como acontece nos estudos ou mesmo com um atleta: estudo e treino, respectivamente, levam a melhores resultados. 
  • Busque orientadores ou mentores: Quanto mais próximo você estiver de pessoas ligadas à arte, como professores, artistas, colegas de curso, comunidades online, mais conhecimento você trará para os seus trabalhos. 
  • Amplie o seu perfil como artista: isso pode ser feito se voluntariando para trabalhar em museus, galerias, estúdios, iniciado seu próprio clube criativo, orientando outros jovens, estudando e escrevendo sobre história da arte, ou criando um projeto comunitário, dentro ou fora da escola. Você ainda pode criar uma galeria própria no Instagram, mostrando seu processo artístico em tutoriais, por exemplo.
  • Pesquise muito: Além de pesquisas sobre conteúdos específicos e técnicas para os trabalhos, busque conhecer bem todos os requerimentos que cada universidade para as quais você está aplicando exigem. Você precisa ter uma compreensão clara do que precisa entregar, de acordo com as exigências de cada instituição.

Como enviar o portfólio

Depois de ler com atenção as exigências de cada universidade e segui-las à risca, você precisa ficar extremamente atento ao deadline, o prazo final de envio do portfólio em cada instituição. Se este prazo não for respeitado, todo seu trabalho terá sido em vão.

Cada universidade tem suas próprias orientações em relação à forma de envio do portfólio. Pode ser via upload de PDF, email de PDF, um link do próprio site da universidade, por QR code ou pelo Slide Room.

Além do prazo e da forma de envio, você também terá que respeitar o tamanho dos arquivos (seja vídeo, áudio, slide, documento ou link). 

A Daqui pra Fora tem em sua equipe especialistas experientes que orientam durante todo o processo de elaboração do portfólio. Então, agora que você já conhece os caminhos, comece cedo e envie o portfólio que melhor te represente.

Mentoria em Grupo: Todos os tipos de bolsas de estudo que existem

Preciso ter notas 9 ou 10 para conseguir bolsa? Quais critérios são levados em consideração? Quais são os tipos mais comuns de bolsas? Como são as bolsas por mérito? Existem bolsas de 100%?

21.05

19h00

Mentoria em Grupo: 14 Casos Reais – Mercado de Trabalho & Graduação no Exterior

Em quais cursos e universidades se formaram, como foram as notas, tiveram oportunidade de fazer estágio durante as férias, se envolveram ou não em projetos durante a universidade, colocaram em prática o que estavam aprendendo na teoria, como foram as transições para o mercado de trabalho, onde e com o que trabalham hoje. Nesse webinar falaremos também sobre visto de trabalho no exterior, dicas de como se preparar para trabalhar fora do país depois de formados. Além disso, traremos informações de como se preparar para voltar para o mercado de trabalho brasileiro caso o interesse seja voltar.

28.05

19h00

Quer receber mais informações sobre Faculdade no Exterior?