Universidades na Inglaterra: como funciona o processo seletivo? - Daqui pra Fora | Faculdade nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido

Universidades na Inglaterra: como funciona o processo seletivo?

Estudar em uma das universidades da Inglaterra é uma decisão que traz muitos benefícios. Além de aumentar o peso do currículo, dá para ter vivência internacional, explorar novas culturas e estar onde algumas das instituições de ensino mais importantes e antigas do mundo foram criadas. Demais, não é?

Mas, para conseguir tudo isso, é preciso saber como ingressar em uma instituição inglesa. O processo tem várias etapas, mas não é impossível de ser realizado — ainda mais, com as dicas certas.

Por isso, nossa equipe separou algumas recomendações sobre a entrada nas universidades na Inglaterra. Confira!

Quais são as principais universidades da Inglaterra?

A escolha da instituição é muito importante, então vale conhecer quais são as melhores do país. De acordo com o ranking Times Higher Education 2020, a classificação para Reino Unido fica assim:

  • 1º lugar: University of Oxford
  • 2º lugar: University of Cambridge
  • 3º lugar: Imperial College London
  • 4º lugar: UCL
  • 5º lugar: London School of Economics and Political Science

Todas essas instituições, bem como outras na Inglaterra, oferecem experiências benéficas que ajudam a formar ótimos profissionais. O diploma britânico é reconhecido pelo prestígio de suas universidades e você também poderá interagir com muitos estudantes de outros países.

Além disso, tem a chance de desenvolver novas competências, aumentar a independência e viver situações práticas sobre a profissão desejada.

Como é o processo seletivo?

No Brasil, temos a ideia bem forte de vestibular ou Enem, não é? Porém, a admissão nas universidades na Inglaterra é diferente e precisa ser bem conhecida. Quanto mais você entender do processo, menos complexo será encarar o procedimento.

Os estudantes são selecionados de acordo com a avaliação de uma série de fatores, como:

As notas dos últimos quatro anos do colégio são muito relevantes. Então, é essencial planejar bem a vida escolar se você pretende estudar em universidades do Reino Unido.

Recomendamos não se limitar a essa lista de critérios. Vale pesquisar bem cada local e conferir, direitinho, quais são os pontos obrigatórios pois eles mudam de uma faculdade para outra. Principalmente quando o processo de inscrição é feito diretamente com a instituição de ensino e não pelo sistema UCAS.

O sistema UCAS para Applications

Uma das principais características desse processo de candidatura é que muitas universidades da Inglaterra fazem parte do Universities and Colleges Admissions Service.

Conhecido como UCAS, é um sistema integrado, no qual os requerentes podem fazer a application uma vez e enviar para mais de uma universidade ao mesmo tempo. No entanto, se a universidade desejada não estiver por lá, o processo tem que ser feito individualmente, com cada instituição.

Uma das restrições do UCAS é a quantidade de candidaturas. Só é possível aplicar para até 5 universidades, o que exige bastante cuidado na escolha.

Como é o processo de inscrição e de visto?

Para se inscrever, tanto pelo UCAS ou diretamente com a universidade, fique de olho nas datas, que podem variar com a universidade e até com o curso. No geral, as inscrições acontecem de novembro a fevereiro, mas também há instituições que aceitam inscrições o ano inteiro. Fique de olho!

Você deverá preencher todas as informações solicitadas e anexar os documentos para que o pedido possa ser processado. Também é necessário fazer o pagamento de uma taxa, que pode variar de acordo com cada procedimento. Após algumas semanas, você receberá a resposta sobre a aprovação.

Depois, é hora de correr atrás do visto. Chamado de Tier 4, ele é voltado para estudantes de longa permanência, o que é o caso dos cursos universitários.

Além do pagamento da taxa, você vai precisar apresentar:

  • documento de aprovação em uma instituição credenciada a esse visto;
  • seguro-saúde;
  • teste de proficiência mínima em inglês, pelo IELTS;
  • capacidade financeira, com todos os custos de estudo e de vida para o primeiro ano no país.

Estar preparado é essencial para conseguir o visto, que pode levar até 3 semanas para ser liberado.

Depois de seguir para a Inglaterra, você deverá ir a um posto especial de vistos e obter a sua autorização de permanência, de modo a garantir a regularidade.

University of Oxford e Cambridge: etapas extras no processo

Como são as melhores universidades da Inglaterra e estão entre as principais do mundo, a University of Oxford e a University of Cambridge têm um processo seletivo especial. Inclusive, as inscrições para elas começam mais cedo.

Além da inscrição tradicional, Cambridge exige o preenchimento de um formulário extra de candidatura, conhecido como Cambridge Overseas.

Já se desejar entrar em Oxford, será necessário provar sua capacidade sobre um tema, com testes ou mesmo com um trabalho.

Após essa seleção inicial, ambas realizam entrevistas, que são feitas na Inglaterra. Cambridge oferece a possibilidade em alguns países, como Canadá e China, enquanto Oxford pode realizar algumas por canal online.

É importante notar que, só é permitido se candidatar para uma ou outra, no mesmo ano. Tenha o cuidado de escolher corretamente na hora da application!

O que é o Foundation Course?

Outro ponto muito importante para quem deseja estudar na Inglaterra é entender o que é o Foundation Course, geralmente obrigatório para estudantes internacionais.

Normalmente, para ingressar diretamente, as universidades do país exigem que o estudante tenha cursado o ensino médio em uma escola brasileira que tenha algum programa de currículo internacional, como o programa IB (International Baccalaureate®). No entanto, nem sempre isso é viável, não é mesmo?

Por isso, para os estudantes internacionais — inclusive brasileiros —, é possível recorrer ao Foundation Course. Também chamado de Foundation Year, é considerado o “ano zero” de estudos no curso desejado.

Ele serve para nivelar os estudantes com conhecimentos específicos e até com o método de estudos. Ao final do ano, todos os que obtiverem a aprovação mínima exigida podem passar para o primeiro ano de curso universitário. Em algumas instituições, inclusive, ele pode ser obrigatório mesmo para quem fez IB e funciona como um “cursinho” preparatório e que melhora sua adaptação.

Partiu Inglaterra?

O processo seletivo das universidades na Inglaterra é diferente do Brasil e pode dar um pouco de trabalho. Porém, ao seguir todas as etapas, é possível obter a aprovação. E para tornar tudo ainda mais simples, vale contratar uma empresa especializada, comprometida com todas as fases, do início ao fim. Assim, vai ser fácil buscar o tão sonhado diploma britânico!

Para ter muitas outras dicas como essa, assine nossa newsletter e receba as novidades em sua caixa de entrada!



Comentários