Processo seletivo: como entrar em uma universidade dos Estados Unidos? - Daquiprafora | Faculdade nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido

Processo seletivo: como entrar em uma universidade dos Estados Unidos?

Ingressar em uma boa instituição de ensino superior é o sonho de muitos, certo? No entanto, o que fazer quando o maior desejo de todos é estudar em uma universidade dos Estados Unidos? Pode parecer improvável, mas realizar esse feito é perfeitamente possível a partir da atenção com alguns pontos cruciais do processo seletivo.

As universidades norte-americanas funcionam de maneira muito diferente das instituições localizadas no Brasil. Enquanto por aqui o ingresso é mais direto e feito por meio de vestibulares, como é o caso do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), lá, há uma série de outros passos que envolvem o processo.

Mas, afinal, quais são esses passos? Como posso fazer para entrar em uma universidade nos Estados Unidos? A seguir, conversaremos sobre esse assunto e responderemos às perguntas mais comuns sobre o tema, com o objetivo de deixá-lo bem informado e preparado para o processo de candidatura. Vamos lá?

Qual é a importância de um orientador para o processo seletivo?

Antes de falarmos sobre os principais passos do processo seletivo para as universidades norte-americanas, precisamos explicar quais são as vantagens e por que é importante contar com um orientador durante essa etapa.

Os orientadores são profissionais especializados nesse assunto e que formarão uma parceria com você. Eles trabalham junto aos estudantes durante todo o processo de candidatura para que cada um consiga os melhores resultados possíveis para seu perfil.

O conhecimento e a experiência dos especialistas são fundamentais para fazer com que todo o processo seja o mais bem orientado possível, já que lidar com prazos, papeladas, burocracia e critérios pode ser um pouco complicado e até desanimador para os futuros estudantes — que não sabem por onde começar o planejamento.

Isso se torna ainda pior quando consideramos o fato de que cada instituição dá um peso diferente aos critérios. Os orientadores vão ajudá-lo a identificar quais são as suas melhores opções de universidades e acompanhá-lo semana a semana, garantindo que os prazos sejam cumpridos.

Eles também vão auxiliá-lo a decidir por uma instituição que caiba em seu bolso — considerando o orçamento familiar, a possibilidade de bolsas, os critérios para consegui-las, etc. Além disso, colocarão sua expertise para que o aluno escreva suas redações para que elas descrevam o estudante da melhor forma, preencha todos os formulários corretamente e envie corretamente toda a sua documentação.

Quais são os principais passos do processo seletivo?

Agora que estamos por dentro de como funciona uma consultoria especializada em momentos como esse, que tal conhecermos os principais passos envolvidos no processo seletivo para uma universidade dos Estados Unidos? Acompanhe!

Fazer um bom ensino médio

A análise do histórico escolar é um dos primeiros fatores observados pelas universidades norte-americanas. Diferentemente do que ocorre no Brasil, por lá, as suas notas obtidas durante a escola importam para os avaliadores.

Na maioria das vezes, eles levam em consideração as notas do 9º ano do Ensino Fundamental e dos 3 anos do ensino médio. Bons resultados mostram que você leva os estudos a sério e que tem potencial para ser um ótimo estudante em sua nova universidade.

Prestar os exames SATs ou ACTs

Os SATs ou ACTs são, de certa forma, o vestibular dos Estados Unidos. Esses testes funcionam como o ENEM ou outras provas de avaliação que temos no Brasil. 

A avaliação efetuada é padronizada, mas cada universidade atribuirá um peso e uma importância diferente a essa etapa. No entanto, é indispensável se dedicar e estudar bastante para obter uma boa nota —critério objetivo e levado muito a sério pela maioria das instituições. 

Realizar os testes TOEFL ou IELTS

Os testes TOEFL e IELTS são feitos para medir a proficiência e fluência das pessoas na língua inglesa. Eles são, portanto, requisitos obrigatórios para a candidatura em universidades no exterior.

Fazer um deles e obter a nota mínima exigida pela universidade fará com que a instituição saiba que você está apto a acompanhar as aulas e se relacionar com os seus colegas, seja no ambiente acadêmico, seja nas inúmeras atividades extracurriculares oferecidas nesses locais. Cada universidade vai definir qual é a nota mínima a ser obtida na prova.

Se engajar em atividades extracurriculares

As atividades extracurriculares são aquelas feitas fora do ambiente escolar. Elas mostram, para os avaliadores das universidades, quem você é e quais são as suas preferências fora da escola, provando também que você é um indivíduo engajado e interessado.

Qualquer atividade pode ser incluída em uma aplicação, desde aulas de artes — música, teatro ou dança, por exemplo —, experiências profissionais e participação em esportes ou olimpíadas científicas e até voluntariados (envolvendo pessoas, animais ou qualquer outra causa relevante).

Ter boas redações / personal statements

Uma das principais etapas do processo seletivo é a preparação de alguns textos, sempre com temas bem pessoais e com o objetivo de mostrar à instituição um pouco mais sobre você.

Também chamados de essays, esses textos têm um dos maiores pesos de toda a seleção, sendo fundamentais para definir se aquela faculdade combina com o seu estilo. Vale a pena lembrar que é importante ser muito sincero, já que não há um perfil padrão procurado. Os avaliadores querem conhecê-lo de verdade!

Contar com boas cartas de recomendação

Complementares aos essays, as cartas de recomendação são feitas por pessoas que conhecem a fundo a sua personalidade. São necessárias, na maior parte das vezes, 3 cartas: duas de professores e uma de algum coordenador de sua escola.

É preciso que suas referências sejam muito sinceras e descrevam exatamente quem você é. Não há, novamente, um perfil específico procurado, mas a honestidade fará com que você encontre uma universidade que é a sua cara e que será o seu novo lar.

Participar da entrevista de seleção ou enviar portfólio

A entrevista de seleção é exigida apenas por algumas universidades — geralmente, as mais competitivas. Ela é feita em inglês por um representante da instituição (como um aluno ou ex-aluno) e, assim como a redação, tem como objetivo permitir que os avaliadores o conheçam melhor. 

Para ir bem nessa etapa, é essencial conhecer bem o perfil da universidade, contar com os conselhos de um bom orientador e, o mais importante de tudo, ser você mesmo. Agir com naturalidade e confiança garantirá uma ótima impressão e lhe deixará muito mais próximo de seu sonho. 

Para os cursos de arte — como moda, desenho ou cinema —, será requerido ao aluno o envio de um portfólio com os seus melhores trabalhos. Dessa forma, a universidade consegue avaliar se o estudante tem as técnicas e o talento necessários para exercer aquela determinada formação. 

 

E aí, viu o que é preciso fazer para iniciar o processo seletivo das universidades dos Estados Unidos? Com essas dicas, fica muito mais fácil se preparar para o que está por vir! Lembre-se de que um bom planejamento é crucial para evitar problemas e deve ser iniciado quanto antes, ok? 

Ficou com alguma dúvida? Então, nada de fechar o seu navegador antes de solucioná-la. Basta entrar em contato conosco e fazer as perguntas que quiser. A nossa equipe está sempre à disposição!



Comentários